Menu de Navegação de Páginas

Dom Fernando celebra 25 anos do santuário que ajudou a construir em Olinda

Dom Fernando celebra 25 anos do santuário que ajudou a construir em Olinda

O arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, presidiu celebração eucarística neste domingo (08/10), às 10h, no Santuário da Mãe Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt, no bairro de Ouro Preto, em Olinda. A celebração fez parte da festa dos 25 anos de inauguração do santuário, da qual o arcebispo participou enquanto pároco que era da Paróquia de São Lucas, região onde o santuário foi erguido.

O centro do carisma de Schoenstatt é a Aliança de Amor com Maria. Seu Movimento Apostólico consiste, essencialmente, nas ligas apostólicas formadas por famílias que se organizam para receber em suas casas a imagem da Mãe Rainha – para orações e seguimento de seu exemplo de caridade cristã. “Sou da geração fundadora do Santuário; participei da escolha do local e de todas as festas da comunidade para erguê-lo; e estou muito feliz por ver que, 25 anos depois, os frutos estão aqui”, comentou dom Fernando.

No início da celebração, o arcebispo agradeceu o acolhimento fraterno do padre Pedro Cabello, reitor do santuário, saudando em seu nome a Comunidade de Schoenstatt, e cumprimentou Frei Paulo, atual pároco da Paróquia de São Lucas. Dom Fernando fez ainda uma reverência especial a Dona Margarida, irmã do saudoso padre Miguel Lencastre, pioneiro dos padres de Schoenstatt em terras nordestinas. Dona Margarida colaborou para a construção do santuário e hoje, aos 94 anos, estava participando da celebração, juntamente com familiares e amigos.

A humildade e a disponibilidade de Maria foram lembradas na homilia de dom Fernando. Segundo o arcebispo, Nossa Senhora se alegra em contribuir para que Jesus seja o centro da história e nos orienta a sermos obedientes à sua Palavra. “Ao chamar os empregados nas Bodas de Caná e dizer-lhes ‘Fazei tudo o que Ele disser’, Maria deixa um sinal evidente de que nós devemos dar nossa parcela de contribuição, participando da vida da Igreja e dos seus milagres”, disse o arcebispo. “Jesus poderia ter feito o milagre sozinho, mas mandou os empregados buscarem as jarras e encherem-nas de água, fazendo-os seus colaboradores”, concluiu.

“A devoção à Mãe Rainha é um convite a viver, apressadamente, essa disponibilidade para os irmãos necessitados”, afirmou dom Fernando, fazendo referência à atitude de Maria de ir à casa de sua prima Izabel, idosa e grávida, para servi-la com humildade. “Louvemos a Deus, nesta celebração, pelo exemplo da Mãe Rainha e por todo bem que esse santuário vem fazendo à comunidade ao longo desses 25 anos”.

O encerramento da festa do Jubileu de Prata do santuário aconteceu na tarde do domingo, às 16h, com procissão e celebração eucarística.

Pascom AOR

Deixe um Comentário