Menu de Navegação de Páginas

Primeira Casa da Gestante da Arquidiocese será inaugurada


A primeira Casa da Gestante da Arquidiocese de Olinda e Recife será inaugurada na próxima terça-feira, 28, às 20h30, pelo arcebispo metropolitano, dom Antônio Fernando Saburido. O lar de acolhimento, fica no Curado IV, Jaboatão dos Guararapes, é conduzido pelo padre Rodrigo Maria (foto). A escolha data para a inauguração não foi por acaso. Dia 28 de dezembro, é comemorado o dia dos Santos Inocentes em memória de um episódio histórico do cristianismo, a matança de todos os meninos menores de dois anos nascidos em Belém, Judéia, ordenada pelo rei Herodes com o fim de se desfazer do recém nascido Jesus de Nazaré.

A ideia do projeto surgiu no ano de 2008, quando o sacerdote, natural do Estado de Goiás, chegou à Arquidiocese de Olinda e Recife. Ele descobriu que na arquidiocese não havia nenhuma Casa da Gestante. Então, resolveu se engajar na luta. O caso da menina de 9 anos grávida de gêmeos após ser abusada sexualmente pelo padrasto impulsionou o projeto. “Através dele pudemos ver a fragilidade das nossas ações. Claro que nós temos que defender a vida com todas as forças, contudo temos que ir além da teoria. Temos que apresentar uma solução para as mulheres querem fazer a opção pela vida, mas não acham quem as ajude.”

Logo após, surgiu uma série de fatos semelhantes que mostraram a falta de estrutura do governo e da sociedade civil para apoiarem as mulheres na situação de gravidez, dificuldade e abandono. “Muitos abortos são praticados por mulheres em um momento de desespero, em que não sabem o que fazer porque foram abandonadas pelos namorados ou companheiros e não têm o apoio da família. Então, é fácil cair na tentação de fazer o aborto porque não falta gente que aconselhe tal prática e o acesso aos remédios e métodos abortivos é facilitado, infelizmente”, lamentou o sacerdote.

O projeto também foi apresentado pelo atual arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, na Assembleia Arquidiocesana de Pastoral, realizada em fevereiro deste ano. Antes mesmo de ser concluído, o projeto Casa da Gestante já tem rendido bons frutos. Procurado pelo Círculo Católico, o mais importante parceiro na execução do projeto, o padre Rodrigo Maria foi aconselhar uma mulher grávida e decidida a abortar. Este seria o sexto aborto realizado por ela. Foram recebidos com indiferença, contudo a jovem aceitou conversar e assistir ao vídeo “A dura realidade do aborto”, que mostra imagens de crianças abortadas. Ela ficou impressionada com as cenas, entretanto disse não estar interessada na ajuda, mas prometeu entrar em contato caso precisasse. Após duas semanas, a mulher decidiu não abortar, mas pediu ao padre que encontrasse um casal para adotar a criança. “Ainda não tínhamos um lugar para colocá-la. Então, falamos com as irmãs da Fraternidade Arca de Maria. Elas mudaram a rotina pacata do noviciado para acolhê-la com carinho. A jovem era tinha alguns vícios (álcool, cigarro, drogas ilícitas) e uma vida agitada, mas aceitou se adaptar à rotina das religiosas”, afirmou o padre. Após dois meses, ela decidiu que iria criar a filha e não a daria mais para a adoção. Ela desejou fazer uma catequese, se confessar espontaneamente e abandonou os vícios.

Maria Laura nasceu em fevereiro, saudável e pesando quase quatro quilos. “Foi um acontecimento profético para mostrar que devemos nos empenhar na salvação dessas crianças”, declarou o padre. O bebê foi batizado e hoje está no Rio de Janeiro com a mãe, que voltou para a casa dos pais. Outras grávidas já procuraram o padre para receber aconselhamento. “A maior parte dos casos são de pessoas que têm família e não precisam de acolhimento, mas só pelo fato de saberem do projeto elas já têm um referencial e procuram ajuda. Isso é muito positivo para a causa pró-vida”.

Pesquisa

A Fundação Nacional de Saúde financiou a Pesquisa Nacional de Aborto, que entrevistou 2.002 mulheres entre 18 e 39 anos de todo o país mostrou que 15% das brasileiras já abortaram. Medicamentos abortivos foram usados em metade dos casos pesquisados. Outro estudo realizado pelo Instituto do Coração, em São Paulo, com base em dados do Datasus de 1995 a 2007, revelou que a curetagem após aborto é a cirurgia mais realizada no Brasil. De acordo com especialistas a maioria dos procedimentos é decorrente de aborto provocado, pois os espontâneo, em geral, não exigem internação. Em 12 anos, foram registrados 3,1 milhões procedimentos desta natureza.

A Casa da Gestante acolherá, dará assistência médica, atenção e carinho às mães e aos bebês. “Uma vez construída, alimentos e ajuda humanitária não faltará. Alguns pediatras, psicólogos e artesãos já se ofereceram para contribuir com o projeto”, afirmou.

Para ajudar a Casa da Gestante e saber mais sobre o projeto, é só ligar para a Paróquia Sagrado Coração de Jesus pelo telefone: 3251-1544. As doações também podem ser feitas através de depósitos bancário:

Banco Bradesco
Agência: 2140-7
Conta Corrente: 34315-3
Paróquia do Curado

Da Assessoria de Comunicação AOR
com informações
da Pascom Curado

5 Comentários

  1. Carissimo Padre Rodrigo,

    Paz e Bem!

    Parabenizamos pelo êxito no esforço de dotar a nossa Arquidiocese de uma Casa da Gestante. Este exemplo de trabalho pastoral evangelizador, que nos trás alegria no atendimento destas mâes sofredores é um alento para toda comunidade arquidiocesana.

    Que Deus o abençoe e que Maria Santissima esteja sempre ao seu lado

    Um abraço fraterno, desejando um feliz Ano Novo / 2011.

    José Antonio Taveira Belo

  2. Reverendíssimo Pe. Rodrigo,

    Estou muito feliz pela sua iniciativa, espero que com seu empenho e trabalho, vários outros padres e até mesmo bispos e dioceses, possam aderir a essa ideia, que se faz necessária nos dias de hoje, e que governos e políticos deixam a desejar!

    Que a santíssima Trindade que não cessa de distriuir bençãos aos seus filhos, possa derramar graças incontáveis em sua vida!

    Um abraço fraterno!

    Matheus Maria!

  3. Pe. Rodrigo Maria,

    É maravilhoso ver em nossa arquidiocese um padre que defende a vida e a família, livrando muitas moças de atitudes sem pensar e erradas por não terem o devido apoio para cuidarem dessas crianças!

    Que a santíssima Virgem coloque no coração de tantos padres a necessidade de lutar pela vida, e ao Pe. Rodrigo, um muito obrigado de verdade!

    Abraço Fraterno,

    Eliza Maria, escrava por Amor!

  4. Pe. Rodrigo Maria

    Se houvesse mas Pe. com a sua força de vontade e perserverança na defesa da vida e a família, haveria mas fieis convicto na sua religião e amor a DEUS e o próximo, Parabéns pelo seu gesto concreto não basta termos só oração se ação.
    Um Abraço Fraterno
    Deste já um FELIZ ANO NOVO!!!!
    e QUE O SENHOR CONTINUE AINDA CONOSCO UM BOM TEMPO.
    Elisabeth confiante em DEUS.

  5. Quais donativos mais necessarios?

Deixe um Comentário